Cotas de uso para internet banda larga

Olá pessoal, hoje comentaremos um pouco sobre este assunto que veio rodando já alguns dias e que ainda não vi ser tão debatido assim e é algo que certamente irá mexer com todos, com a forma como conhecemos e usamos a internet atualmente em nosso país.

Todas as operadoras móveis do país já implantaram ou estão para concluir o processo de implantação do corte geral da conexão 3G quando atingido o limite de uso diário ou mensal e assim oferecer um pacote extra a um certo custo ao usuário para continuar conectado ao invés do modelo antigo onde a conexão era bem reduzida e mal se conseguia receber notificações pelo celular.

Concordo que deva sempre haver um limite para a banda larga móvel onde afinal eu entendo que ela é uma complementação da banda larga fixa que inclusive já comentei isso aqui, para usar no trânsito, ônibus... enfim, no percurso até o trabalho ou casa ou outro local onde possa ter uma conexão aberta e confiável para utilização. Porém o que vemos aqui no Brasil são limites com valores absurdos que basta uma simples sincronizada no email e a cota diária já poderá ter ido embora.

Reforço, banda larga móvel é complemento, e vivemos em uma era onde os conteúdos migram cada vez mais para a nuvem e a música é um deles, com uma cota diária ou mensal coerentes nós poderíamos usar sem qualquer tipo de problema os serviços de streaming sem precisar ter que cachear os arquivos através do wireless para usar depois offline.

Há quem diga que no mundo todo há restrições quanto ao uso, porém se fomos levar isso em conta e verificar as cotas de um país como os Estados Unidos e o nosso, eles lá pagam menos por uma conta de internet móvel muito maior do que a nossa. E nem falo aqui de 4G que lá é algo já comum e nós aqui ainda a passos de tartaruga com a tecnologia.

Há quem diga² também que a banda larga móvel ajudaria a pessoas da zona rural a se conectar à internet e isso poderá ser possível com a tecnologia 4G que inclusive o leilão em que as operadoras participaram, prevê esta cobertura, me parece até que já vem sendo implantado em alguns locais através de frequências nas quais as operadoras já trabalham/trabalhavam e possuem licenças de operação como no caso da frequência 850Mhz, até que se desocupe a faixa de 700Mhz que irá prover conexão com uma distância maior (quanto menor a frequência, maior a propagação e menor quantidade de ERB).

Simples, para as pessoas da zona rural bastaria uma boa cota de uso tomando como base os usos de uma pessoa comum que terá um acesso simples, sem conteúdo sob demanda e obviamente planos que contemplem este outro público. Apesar de que hoje as ERBs já em sua maioria devem estar ligadas por fibra ótica e mesmo tendo elas como o foco principal a conexão por voz, fibra ótica elimina praticamente todo o gargalo que poderia ter ali em transmissão de dados.

Se a banda larga móvel é o complemento mas há também quem abuse da rede aproveitando algumas falhas e usando tudo a todo vapor baixando gigas e gigas de dados, se há um limite, é graças também a este tipo de pessoa que detona a rede somente em benefício próprio, paga uma quantia módica por dia e exige que seja tudo limitado e em alta velocidade. Fato este que aconteceu com quem usava o Tim Beta no 4G. Falta de semancol neste casos é gritante, não é porque está aberto que devemos nos aproveitar da situação, as operadoras não são santas mas como podemos exigir que se cumpram leis se de alguma forma estamos dando o verdadeiro jeitinho brasileiro em uma situação assim?! #prontofalei.

E partindo do que já foi feito na banda larga móvel é que as operadoras planejam já para o ano que vem aplicar também na banda larga fixa, o que é simplesmente um absurdo, imoral mas não ilegal e explico o por que. Se cada um de nós assinantes fomos olhar o contrato de prestação de serviço das operadoras, iremos ver lá que todas elas já dispõem de clausulas onde se reservam no direito de limitar a uma cota mensal para cada velocidade contratada, o NET Virtua aplicava isso até tempos recentes mas este ano não li nada de alguém tivesse sua velocidade reduzida, talvez até por força de concorrência.

Querem implantar a modalidade de cobrança diferenciada para a banda larga fixa e que convenhamos nossa banda larga não é das melhores onde pagamos caro por um serviço ineficiente em boa parte do tempo, o que a meu ver já está ai, ou vai dizer que uma Oi por exemplo que tem sua base de planos as velocidades de 1Mb até 10Mb não é algo para todos os gostos e bolsos? Limitar é simplesmente o fim da picada e a internet hoje não permite mais isso e que mais uma vez repito, tudo convergindo para a nuvem e com qualidade de imagem e som cada vez maiores temos também arquivos cada vez maiores e necessitando cada vez mais de banda para transmitir/receber, isso faria com que serviços como o Netflix se tornassem altamente danosos a nós.

Dizem que o custo de uma fibra ótica hoje é o mesmo de um cabo par metálico, o país é cortado por fibras óticas de grande capacidade que poderia prover até médio prazo acho, uma conexão boa aos assinantes. Diminuam os lucros que ganham com nossas assinaturas escorchantes e invistam em melhorias cada vez maiores na rede que ao final o investimento irá se pagar com a eficiência do serviço, limitar o uso com a desculpa de redução de custos é argumento de mente tacanha e isso a tia Ana, Anatel no alto de toda a sua ineficiência está cheio, além de dizerem "amém" as ações das operadoras quando na verdade era o órgão que deveria estar ao lado do assinante.

Quem quiser ver o vídeo das pérolas é só clicar abaixo:



Em hipótese nenhuma podemos deixar isso acontecer ou estaremos em maus lençóis, não podemos simplesmente aceitar isso passivamente. Não li toda a redação do marco civil e esperaria que algo neste sentido estivesse por lá, mas como citei acima, está em contrato e algo precisa ser feito já pois em 2015 poderemos ter surpresas desagradáveis neste sentido.

Bom pessoal, se não nos "vimos" mais este ano, desejo aqui boas festas e um ano novo repleto de realizações para todos vocês.


Como montar seu próprio QR-Code

Depois de um período relativamente longo onde me dediquei as provas do Enem, provas estas que como todo mundo sabe, desgastam por demais a pessoa, estou aqui com mais um post.

Profissionais seja ele de qual área for sempre tem a mão o seu bom e velho cartãozinho com seu nome completo, sua especialização e telefone de contato, tudo isso para uma época não muito distante da nossa atual. Hoje quando no mínimo temos os chips das quatro principais operadoras, um site/blog onde podemos mostrar nosso portfólio, email onde todo o mundo tem o seu (um pouquinho de passado, o slogan do Bol no passado era "Todo brasileiro tem direito a um email grátis"), e um perfil no Linkedin unindo isso tudo.



Asus Zenfone 5

Começo este post prontamente agradecendo a Asus Brasil pela bela cortesia de me presentear com um Asus Zenfone 5, gostei muito do presente. MUITO OBRIGADO!

Não farei aqui um review sobre o aparelho até porque o lançamento foi na semana passada e vocês já devem ter visto vários excelentes internet a fora, falarei aqui somente minhas impressões sobre o aparelho em um comparativo breve com meu Lumia. Não tenho como fazer comparativos mais precisos até mesmo graças a minha falta de conhecimento a outros modelos, nunca tive em mãos exceto alguns de baixo custo como o Galaxy Y e Razr D1 de amigos. Pulei de um celular simples diretamente para um Lumia conforme pode ser lido aqui mesmo no blog.



Ativando extensões desabilitadas instaladas fora da Chrome Web Store

Mais um post no tópico sobre navegadores e desta vez sobre como podemos desabilitar as extensões que o Chrome desabilita de forma forçada por não terem sido instaladas através da Chrome Web Store.

É sabido que após algumas atualizações atrás, o Google passou a bloquear a instalação ou desabilitar extensões instaladas fora da Chrome Web Store como as extensões adware por exemplo, boa iniciativa, contudo, algumas boas extensões como por exemplo a YouTube Center, são desabilitadas. Mas há uma forma de contornar isto e é o que veremos a seguir e poderá ser utilizado com qualquer outra extensão que não foi instalada pela Chrome Web Store.



Google Software removal tool

Em mais um post no blog para a série "assuntos relacionados a navegadores"... Em complemento a iniciativa tomada pelo Google no bloqueio de extensões que vieram de fora da Chrome Store e que são consideradas maliciosas, foi lançada no último dia 12 a Google Software removal tool, ferramenta com o simples propósito de realizar uma verificação completa no PC, localizar e remover softwares que por ventura estejam impedindo o bom funcionamento do Google Chrome (foco apenas nele e não no geral no PC).


Download da versão 64 bits do Google Chrome

Ao contrário da maioria dos posts aqui em que os procedimentos podem ser aplicados em qualquer época, este post aqui terá uma validade que dependerá exclusivamente do Google, mas atualizarei para informar.

Sistemas x64 cada vez mais presente em nossos PCs e o boom na minha opinião veio com o barateamento das memórias RAM e até mesmo com o marketing que envolveu o Windows 8, sim, acho que com ele a adesão dos sistemas x64 foi bem maior do que com o Windows 7. No dia 26 do mês passado foi lançada a versão 64 bits do Chrome, o que na minha opinião foi um lançamento fantástico após algumas versões de testes, poder aproveitar melhor os recursos que a plataforma x64 oferece, além da maior estabilidade e rapidez, ponto positivo para o Google.



Plugins PDK não desabilita no Firefox

Boa noite pessoal, depois de um longo período sem postagens graças a minha falta de tempo para tal, vou tentar com isso colocar dois posts curtos esses dias para tentar minimizar este hiato que foi este tempo todo sem postagens.

Começo este post com o relato de um problema e sua solução, instalei recentemente o Kaspersky Internet Security 2015, a meu ver, a melhor solução de segurança atualmente mas isso é papo para outra hora, após a sua instalação então é chegada a hora de configurar melhor o produto para adequar ao meu uso e minha necessidade de segurança e eis então que me deparei com um empecilho a ser resolvido.

Voltar ao Topo da Página